sexta-feira, 29 de abril de 2016

vertigem 4




vertigem 4

mãe e filha
na mesma trilha
no mesmo atalho
da maravilha
o corpo santo
tua vertigem todo dia
agora e sempre
nuas no meu canto

Federico Baudelaire

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Oficina Artes Cênicas - O Espelho



Oficina Artes Cênicas - O Espelho
SESC Campos - 

de 5 a 26 de maio - das 15 às 18h
Tendo o Espelho como elemento cênico desenvolver uma pesquisa no universo surrealista do dramaturgo Espanhol Fernando Arrabal tendo como pano de fundo os textos: Fando e Lis e Guernica.
Com o ator poeta e Diretor de Teatral: Artur Gomes


quinta-feira, 21 de abril de 2016

poemix poemax






poemix

o outro lado
do des/conhecido
é turvo

o outro lado
é claro



poemax

o espanto
não tem dono
me pega no sono
quando acordo

e traça
um som incrível
como o sol
do fim do dia

quando amanheço
sou apenas
esse relâmpago insaciável
sem palavras
para aplacar o que não sei


Artur Gomes 

domingo, 17 de abril de 2016

são saruê 1


são saruê 1

o vento nordeste
atiça meu ser cabra da peste
assumo o risco
sou diabo sou curisco
boto a peixeira na cinta
pra pular fogueira
em noites de São João
meu Xangô Xangô menino
viva o povo nordestino
nosso deus é Lampião
Artur Gomes II
FULINAIMAGEM - A Poesia Proibida de Artur Gomes


terça-feira, 12 de abril de 2016

são saruê



são saruê

festa no sertão é bala
bola no buraco é búlica
cabral não descobriu a pólvora
por trás de cada coisa pública
a chama do lampião na palha
fogueira sempre quero acesa
linguagem meu fuzil metralha
explosão como feijão na mesa

Artur Gomes Gumes
FULINAIMAGEM - A Poesia Proibida de Artur Gomes

segunda-feira, 11 de abril de 2016

bolero blue


Bolero Blue

beber desse conhaque
em tua boca
para matar a febre
nas entranhas
entre os dentes
indecente
é a forma que te bebo
como ou calo
e se não falo quando quero
na balada ou no bolero
não é por falta de desejo
é que a fome desse beijo
furta qualquer outra
palavra presa
como caça indefesa
dentro da carne que não sai.


(escrito numa madrugada boêmia de 2002 em Bento Gonçalves depois da noite de Abertura da 10ª Edição do Congresso Brasileiro de Poesia, em cia da musa que o inspirou, este poema gravado posteriormente na mesma cidade de Bento Gonçalves-RS pode ser visto e ouvido na voz do seu próprio autor no Museu da Língua Portuguesa - Estação da Luz - São Paulo)

sábado, 9 de abril de 2016

pontal foto grfia








Pontal Foto.Grafia

Aqui,
redes em pânico
pescam esqueletos no mar
esquadras – descobrimento
espinhas de peixe
convento
cabrálias esperas
relento
escamas secas no prato
e um cheiro podre no
AR

caranguejos explodem
                                    mangues em pólvora
                                    Ovo de Colombo quebrado
areia branca inferno livre
                                             Rimbaud - África virgem –
carne na cruz dos escombros
trapos balançam varais
telhados bóiam nas ondas
tijolos afundando náufragos
último suspiro da bomba
na boca incerta da barra
esgoto fétido do mundo
grafando lentes na marra
imagens daqui saqueadas
Jerusalém pagã visitada 
Atafona.Pontal.Grussaí 
as crianças são testemunhas:
Jesus Cristo não passou por aqui

Miles Davis fisgou na agulha
          Oscar no foco de palha
cobra de vidro sangue na fagulha
                          carne de peixe maracangalha
que mar eu bebo na telha
que a minha língua não tralha?
                              penúltima dose de pólvora
palmeira subindo a maralha
punhal trincheira na trilha
cortando o pano a navalha
fatal daqui Pernambuco 
Atafona.Pontal.Grussaí 
as crianças são testemunhas:
 Mallarmè passou por aqui

bebo teu fato em fogo
                punhal na ova do bar
palhoças ao sol fevereiro
                aluga-se teu brejo no mar
o preço nem Deus nem sabre
                sementes de bagre no porto
a porca no sujo quintal
                                       plástico de lixo nos mangues
que mar eu bebo afinal?

Artur Gomes


Publicado na Antologia Internacional - Eco Arte Para Re-Encantamento do Mundo, organizada pela Bióloga Michelle Sato e editada pela Universidade Federal do Mato Grosso – 2011 – Publicado na Antologia Poesia do Brasil Vol. 15 – 2012 – Proyecto Cultural Sur Brasil – Editora Grafiti - Faixa do CD Fulinaíma Rock Blues Poesia – a sair